Um dia…

Eu me olhava no espelho enquanto ouvia o tic-tac do relógio tomar aquela sala aonde eu estava. Era outono, o que fazia o clima estar da maneira como eu gostava: um frio gostoso, mas com alguns raios de sol iluminando a sala. Observava-me no reflexo do espelho, a expressão confusa a frente era minha; os olhos iluminados, mas cansados; o tic nos dedos das mãos; os lábios um pouco mordidos; o corpo hesitante, mas, ao mesmo tempo, alegre e confuso. Eu não me conhecia naquele momento, e tudo era graças a ele.

Eu não imaginava que alguém me amaria, ou me considerasse alguém de tamanha importância, mas, assim que Ele me conheceu, eu me transformei em alguém de tamanho valor para uma outra pessoa. Em mim, ele via sua vida; ele via seus esforços, ele via a si mesmo; e eu, tão solitária e tão alegre, não percebi o quanto eu era para ele, até perceber que ele era de mesmo valor para mim. Eu também não imaginava que alguém seria tão importante para mim.

Assim como ele me enxergava de forma esplêndida, eu o via de forma explêndida, como aquela luz de esperança enquanto você está preso em algum túnel infinito. Ele se tornou um ponto se salvação, um amigo, um amante; e, quando eu olhava em seus olhos, eu podia ver que ele me via da mesma maneira. Eu era aquela que ele queria agradar, que ele desejava ter por perto. Ele me amava como eu o amava.

Trocávamos palavras, olhares, toques e sentimentos mesmo que distantes. Ele sorria quando via-me se aproximar dele; eu sentia uma dor no peito quando ele se afastava; nós aguentávamos a distância e a solidão pelo tempo que passávamos juntos. Não tinhamos os mimos de casais, mas tinhamos nosso silêncio, caloroso e nosso, e ele equivalia mais do que qualquer momento grudado um no outro. Não precisavamos disso.

Até que tudo ficou estranho, a distância era realmente uma distância, daquelas tristes e frias que afastam os seres humanos. Ele se afastava fazendo suas próprias coisas, realizando suas próprias conquistas e tendo sua própria vida; e eu fiquei a viver a minha, sonhando minhas ilusões e passando meus dias apenas comigo. Eu havia o procurado nos primeiros dias, mas, não iria procurá-lo para sempre, e quando ele estivesse pronto, ele viria até mim.

Acreditei que tudo aquilo acabaria. A minha luz estava desaparecendo e eu estava deixando-a escapar sem ao menos tentar. Meus dias iam passando, dia e noite, horas e minutos; eu não ouvia mais sua voz ou procurava-o em todos os lugares. Imaginei que tudo aquilo realmente acabaria, até que eu o vi mais uma vez e vi que o brilho que ele tinha ainda estava lá, seu sorriso estava mais lindo do que nunca e ele nunca me pareceu tão belo quanto naquele momento. Tão belo e jovem.

E, mais uma vez, meu mundo mudou quando ele me disse o que ele havia escondido. O brilho esplêndido havia retornado no momento em que ele voltou aos meus braços, senão, mais forte do que no momento que eu havia admitido que eu o amava. Não havia mais dúvidas e aquele momento de distância se tornou meras lembranças de uma tempestade que haveria de trazer um belo céu azul em seguida.

Suspirei enquanto caminhava para fora daquela sala. Ainda não acreditava que alguém poderia me amar como ele me amava, mas ele me provava todos os dias que eu estava errada. E, apesar de todos os meus medos e minhas inseguranças, ele se fazia presente, trazendo-me uma segurança que nem eu achava possível. Ele me amava de todas as maneiras, com minhas fraquezas e meus medos, com minhas amarguras e minhas alegrias. Ele apenas me amava.

Peguei o carro em frente a minha casa e segui meu caminho, imaginando que ele estaria me esperando. Não demorou muito para que eu, enfim, chegasse no meu destino. Suspirei quando observei a construção coloquial a minha frente, eu tremia de ansiedade, mas, tratei de sair do carro, segurando a imensa vontade de chorar. Sentia minha respiração pesar e uma vontade de correr dali, voltar para o carro e nunca mais aparecer, mas sabia que ele estaria lá dentro, sorrindo para mim como ele sempre faria.

Esperei alguns segundos e, assim que ouvi uma música tocar no fundo, eu entrei naquele lugar, procurando-o, e foi uma satisfação vê-lo me procurando, também. Sorri quando eu o vi sorrir tão lindo, tão sincero; ele parecia tão nervoso quanto eu, mas, ele insistia em deixar sua confiança presente. Deixei uma lágrima cair quando percebi que seus olhos estavam úmidos. Quando, finalmente, eu o alcancei, segurei seu braço com firmeza e prometi a mim mesma que não o soltaria.

Observei-o mais uma vez não ouvindo o que se passava ao meu redor. Ele ainda estava com um sorriso belo no rosto; seus olhos tinham um brilho totalmente novo e sua expressão estava tão alegre e confusa quanto a minha. Eu ri quando eu o vi ri, também, assim como ele compartilhou minha risada. Apertei sua mão quando o senti apertar a minha e olhei em seus olhos quando percebi seu olhar fixo no meu. Ele me fazia brilhar da maneira mais bonita possível.

Admirei aquele rosto mais alguns instantes, ainda duvidando daquele amor que ele insistia em dizer que tinha. Meu medo me tomou mais uma vez, um medo dele soltar minha mão e fugir de mim – quantos fugiriam e quanto fugiram! Talvez não hoje, porém mais tarde, quando eu tivesse apenas uma alma jovem. Mas, como sempre, ele apertou minha mão e sorriu para mim, sussurrando aquelas palavras que eu mais precisava naquele momento:

Eu te amo.

E nada mais eu precisava. Sorri com aquelas palavras e, quando ouvi a música voltar a tocar, eu sabia que ele era meu. Abracei-lhe apertado e guardei aquele momento na minha memória, salvando aquele calor que tudo aquilo havia me proporcionado. Ele observou-me apaixonado e, enfim, beijou-me os lábios, selando nossas promessas de tempos e minutos atrás. E, então, nada mais me assustaria, pois eu sabia e tinha a certeza de que ele me amaria e estaria comigo, apesar de tudo.

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s